quinta-feira, 25 de dezembro de 2014

Novo ministro da Educação: Cid Gomes

Depois de nomes como Cristóvão Buarque(PDT), Tarso Genro(PT), Aloísio Mercadante(PT) e Fernando Haddad (PT), este último atual prefeito de SP, a presidenta Dilma Roussef (PT) anunciou nessa semana o nome do atual governador do Ceará Cid Gomes(PROS) para o cargo de ministro da Educação.
Gomes, para quem não sabe é irmão de Ciro Gomes(PROS), ex - prefeito de Sobral(CE), ex - deputado estadual cearense e atual governador do Ceará(reeleito em 2010). Formado em Engenharia e pertencente a oligarquia Ferreira Gomes de Sobral.Isso mesmo, pertence a uma oligarquia local ligada inclusive a ex - governadores do regime militar.
Outro aspecto "interessante" sobre Cid Gomes, é o fato dele já ter feito parte das fileiras do PSDB, assim também como do PMDB, PPS e mais recentemente do PSB até sua saída por discordar do falecido Eduardo Campos, ex - governador de Pernambuco e presidente do partido. Ou seja, não tem um conjunto ideológico que podemos definir, ou tem, ideologia do" onde for bom pra mim eu vou!".
O fato é que não conseguimos ver em Gomes, uma personalidade que vamos nos lembrar com alegria para Educação(espero dar a mão a palmatória). Não há nesse nome um espectro de que conduzirá o projeto de Dilma como ele merece, como seria, por exemplo, ao nosso ver uma pessoa como a filósofa Marilena Chauí, ou o senador por SP do PT Eduardo Suplicy ou outros nomes de políticos ou técnicos - políticos que tem história de luta como os movimentos sociais e com a Educação.
Infelizmente, apesar da experiência politica de Cid, foi uma escolha necessária para a base aliancista do Governo mas sem expressão e credibilidade para Educação.Afinal ele administrará entre outros programas o SISU, PROUNI, FIES, PNAIC, responsável pela condução e efetivação do PNE; avaliações como ENEM, Prova Brasil, ANA.
Cabe registrar, porém, que foi Cid Gomes que criou no Ceará o Programa de Alfabetização na Idade Certa que deu origem no governo federal ao PNAIC - Pacto Nacional de Alfabetização na Idade Certa.
Imagem: http://pt.wikipedia.org/

Confederação e Sindicatos

Por enquanto, as principais confederações ligadas a Educação como CNTE, bem como sindicatos e outras entidades como APEOESP, Sinpeem, CPP, UNDIME e até mesmo entidades representativas dos estudante como a UNE , UBES e ANPG não colocaram em seus sítios oficiais notas e/ou opiniões sobre a escolha de Cid Gomes para a pasta da Educação.

sábado, 20 de dezembro de 2014

Prefeitura de SP convoca professores

A Prefeitura da cidade São Paulo convocou na edição de sábado do seu Diário Oficial 2920 candidatos aprovados no último concurso realizado nesse ano de 2014. Além destes foram também convocados 902 candidatos aprovados conforme a lei n° 15.939/2013. Tal lei refere-se à cotas raciais para o ingresso de negros e negras no serviço público. Totalizando 3822 convocados.
Os candidatos convocados deverão comparecer ao Auditório da CONAE 2, à Avenida Angélica, 2606, Consolação - São Paulo / SP, entre os dias 12 e 26 de Janeiro de 2015.


sábado, 31 de maio de 2014

#Concurso: Prefeitura de SP convoca professores

A Prefeitura de SP no seu Diário Oficial do dia de hoje, 31, convocou na página 89 maio noventa e três professores para ingressar na carreira de professor de educação infantil. Veja abaixo as informações e se você está entre os convocados:


terça-feira, 13 de maio de 2014

#ConvocaçãoPMSP

A Prefeitura de SP convocou pelo seu Diário Oficial de hoje, 13, para assumirem 206 vagas de Professor de Educação Infantil os candidatos aprovados no último concurso.Veja abaixo as informações necessárias para atribuição que será dia 29 de Maio.



segunda-feira, 12 de maio de 2014

Prefeitura de SJC abre inscrição para concurso

A Prefeitura de São José dos Campos abriu a partir de hoje,12, inscrições para concurso público para vagas de professores de diversas áreas. As inscrições serão encerradas no dia 20 de Junho as 16h e terá como realizadora do concurso a Fundação VUNESP pelo site www.vunesp.com.br.
As vagas são de Professor I referente à Educação Infantil e as séries iniciais do Ensino Fundamental e também de Professor II de várias áreas. Ao total são 26 vagas com hora/aula no valor de R$10,32.


#ENEM2014

Já estão abertas as inscrições para o Exame Nacional do Ensino Médio de 2014. Os interessados devem acessar o site http://sistemasenem2.inep.gov.br/inscricaoEnem/ e preencher as informações solicitadas.As inscrições serão encerradas no dia 23 de Maio.


sábado, 10 de maio de 2014

#ENEM2014

O calendário 2014 já está definido. O MEC já está publicando em todos os tipos de mídia as informações para a edição 2014 do Exame Nacional do Ensino Médio que atualmente além de avaliar o Ensino Médio também serve para seleção dos estudantes para Universidades Federais pelo SISU e para seleção de bolsas universitárias pelo PROUNI e ainda cursos técnicos no PRONATEC.
As inscrições deste ano acontecerão do dia 12 Maio, próxima segunda - feira, até o dia 23 de Maio. As provas que acontecerão em dois dias serão no mês de Novembro, dias 08 e 09.
Os candidatos deverão fazer sua inscrição e aguardar o cartão de confirmação no qual constará dados pessoais e local de prova.

Expectativa

Em 2014 a edição do ENEM gera muitas expectativas, tanto de estudantes, classe política e sociedade brasileira em geral. Isto devido aos acontecimentos das últimas edições que foram desde vazamentos de questões, roubo de provas, passando por postagens irregulares das provas no momento da avaliação por candidatos.
No último domingo,04, o programa "Fantástico" da Rede Globo(#PIG) veiculou reportagem em que produtores do programa haveriam realizados as avaliações e produzidos redações com teores que de acordo com os parâmetros estabelecidos pelo INEP zerariam e consequentemente eliminariam as respectivas redações. As redações foram submetidas a outros avaliadores, que em algumas redações fizeram avaliações em consonância com o MEC.
Ou seja, com certeza diversos grupos estarão de olho nos resultados do #ENEM2014 principalmente dependendo do resultado eleitoral de de Outubro.

Serviço

Período de Inscrição: De 12 a 23 de maio
Datas das Provas
1º dia (08 de novembro) – sábado
Ciências Humanas e Ciências da Natureza.2º dia (09 de novembro) – domingo
Linguagens, Códigos e suas Tecnologias, Redação e Matemática



quinta-feira, 1 de maio de 2014

1º de Maio - Dia de Luta do Trabalhador


Hoje dia do trabalhador diversas centrais sindicais estão realizando atos festivos para comemorar e homenagear esse dia. Entretanto muitas questões ainda devem ser resolvidas.
Uma delas é redução da jornada de trabalho de 44 horas para 40 horas que ainda não foi resolvida.
Já em relação aos trabalhadores da educação o grande tema é o cumprimento da lei do Piso do Magistério, lei n.º 11738, que estabelece um piso salarial nacional comum aos profissionais do magistério.
De acordo com a Confederação Nacional dos Trabalhadores da Educação- CNTE - atualmente 7 Estados não cumprem a lei e 14 não cumprem integralmente a lei.Isso quer dizer que o piso salarial em consonância com a jornada que deve ser de até 40h, sendo que 1/3 desta jornada deve ser de estudo(hora - atividade), não está sendo cumprido.

click na tabela e veja as informações na íntegra no site da CNTE

Ou seja, ainda há lugares que professores estão recebendo, por exemplo,  um salário minimo ou um pouco mais que um salário minimo. Isso quer dizer que o dia 1º de Maio para esses trabalhadores da Educação é um dia de luta e não, ainda, de festa.



Dia 22 de Abril - SP convoca professores

No último dia 22 de Abril a prefeitura de SP convocou para assumirem o cargo de Professor de Educação Infantil 144 candidatos aprovados do último concurso realizado. Os professores(as) convocados(as) deverão comparecer no dia 14 de Maio a partir das 9h de acordo com o cronograma de convocação publicado no Diário Oficial. Veja:

quarta-feira, 30 de abril de 2014

Nuvem de Livros - Recomendações Antonio Torres






#NãoSomosTodosMacacos

Li os seguintes textos em relação ao momento polêmico causado pela atitude racista da torcida espanhola contra o jogador Daniel Alves e a consequente reação do mesmo, comer a banana: " Contra o racismo nada de bananas, nada de macacos, por favor!" de Douglas Belchior; "Por que comparar negros a macacos não deve ser motivo de piada" do blog "Cúlti & pópi" e; " O insulto macaco: uma breve história de um insulto racista" de James Bradley. Todos os três sem exceção são esclarecedores e com certeza defendem uma visão de mundo que verdadeiramente luta contra o racismo! 
Os dois primeiros textos trazem como base inicial para a escrita, o texto de Bradley (2013), e é nesse texto que está a afirmação, o que é tratado por Belchior e C& P, que me traz mais uma vez, uma dura realidade das escolas brasileiras: a total inércia e incapacidade de tratar a igualdade racial e consequentemente o racismo. Bradley escreveu:

                                                     "O sistema educacional não faz o suficiente para nos educar sobre a                                                                 ciência ou a história do ser humano, porque se o fizesse, nós viveríamos  o                                                      desaparecimento do uso do macaco como insulto.”

Isso mostra como são as unidades escolares: instituições de ensino e professores preocupados constantemente com os conteúdos escolares; com as avaliações institucionais, bônus, prêmios de bom desempenho; cobranças de seus superiores por projetos sem lógica(da pedagogia de projetos); desvalorização; falta de materiais e infraestrutura; mas principalmente má formação inicial e contínua. Os cursos tanto de Pedagogia como os que formam os especialista em outras áreas como Matemática, Geografia e outros não trabalham efetivamente a História Africana e Afro - Brasileira, bem como não estruturam o aluno e futuro profissional de como iniciar um trabalho com crianças e jovens relacionado a isso.
Muitas escolas e a maioria dos professores não tem se quer conhecimento  da lei n.º 10.639/2003  que altera a LDB  incluindo no currículo oficial a obrigatoriedade do Ensino de História e Cultura Afro - Brasileira e consequentemente  suas Diretrizes Curriculares.
Quem está lendo pode até pensar " o escritor está exagerando", não! O escritor não está exagerando.
Esta temática, infelizmente, fica restrita há duas datas: o Treze de Maio - abolição e; o Vinte de Novembro  - Zumbi dos Palmares. E em segundo plano, pois na primeira data trata - se mais dos abolicionistas e da Princesa Isabel e na segunda restringe - se a pessoa de Zumbi.
Bradley é feliz quando escreve que "o sistema educacional não faz o suficiente para nos educar sobre a ciência ou a história do ser humano". A ciência e a história ficam restritas a fatos e personagens, experiências e textos. Não há reflexão sobre as atitudes destes personagens, não há discussão sobre o que levou a humanidade a cometer tantos erros exemplificados em guerras.
Ciência e História e Ser humano são apenas palavras que representam questões complexas e "chatas" para os professores e estudantes.
A escola atual reafirma o preconceito e os professores são levados sem resistência a auxiliar nessa reafirmação, construindo assim, para o nosso desespero mais seres humanos racistas desinformados que manipulados pela mídia vão considerar atitudes como a de Daniel Alves a correta.



terça-feira, 29 de abril de 2014

Administração de Mogi das Cruzes abre 12 vagas para Educação

A Prefeitura de Mogi das Cruzes publicou no último dia 09 de Abril edital de abertura de concurso para provimento de 12 vagas para secretaria de Educação do município. As vagas e salários  são os seguintes:

As inscrições devem ser feitas no site: www.caipimes.com.br até o dia 12 de maio.

terça-feira, 22 de abril de 2014

Vem aí a 15ª Semana Nacional da Educação Pública

Do dia 24 ao dia 30 de abril a Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação realizará a 15ª Semana Nacional em Defesa e Promoção da Educação Pública. O objetivo é potencializar as discussões acerca dos principais temas da política educacional do Brasil.
Esta edição tem como tema "Planos de educação como instrumentos da valorização profissional". Serão realizados debates organizados pelos sindicatos filiados à CNTE nas cinco regiões do país, que abordarão assuntos como o direito à educação, carreira e jornada de trabalho, formação dos profissionais da educação, condições de trabalho e financiamento da educação.

segunda-feira, 21 de abril de 2014

A educação brasileira no período ditatorial

Ainda no encalço do processo de lembranças iniciadas no dia 1º de Abril deste ano sobre o golpe militar de 1964,vou discorrer sobre as questões educacionais ocorridas neste período. Um tempo que teve dentro de escolas e universidades a repressão a estudantes e professores contrários ao regime e  também contou com mudanças curriculares, projetos de educação alinhados aos interesses dos militares conjugados aos interesses imperialistas dos EUA.
A politica educacional adotada partir de 64 contou com acordos financeiros e técnicos com os Estados Unidos. Que no caso especifico da Educação brasileira foram a série de acordos MEC- USAID, estes que iniciaram  no Governo Castelo Branco, onde em 26 de junho daquele ano, foi firmado o  primeiro com intuito no Aperfeiçoamento do Ensino Primário com duração de dois anos. Sendo o acordo mais importante do período o que culminou na lei 5540/68 que tratava da reforma universitária acompanhado posteriormente do decreto 5692/71 que tratou da reforma do antigo 1º e 2º grau. A ideia dessas legislações pautadas na orientações estadunidenses era modelar o ensino brasileiro ao estilo norte - americano.
De acordo com Aranha(2000) o modelo instaurado tinham três pilares:1) educação e desenvolvimento- formação de profissionais para atender às necessidades urgentes de mão - de - obra especializada num mercado em expansão; 2) Educação e segurança- formação do cidadão "consciente". Daí disciplinas sobre civismo" Educação moral e cívica", Organização Social e Politica do Brasil e; "Estudos dos Problemas Brasileiros"; 3) Educação e comunidade: estabelecer a relação entre a escola e comunidade criando conselhos de empresários e mestres.(p.214)
Estes acordos, o da reforma universitária e do ensino de 1º e 2º grau, acontecem em momentos distintos:  a primeira na presidência de Costa e Silva que  é o responsável pelo Ato Institucional nº 5, o AI-5, que extinguia os direitos individuais e começava a endurecer de vez o regime; a segunda no governo "das trevas" de Emilio Garrastazu Médici que baixa de vez a tortura e os sequestros por parte do governo.
Em 68, para reforma universitária, Costa e Silva formou o GRTU,Grupo de Trabalho da Reforma Universitária, formado apenas por indicados da Presidência da República que baseou todo projeto no relatório de Rudolph Atcon teórico estadunidense e no relatório do Coronel Meira Matos, integrante da Escola Superior de Guerra. A reforma consistiu em: extinção da  cátedra; unificação do vestibular e aglutinação das faculdades em universidades com o intuito da "maior eficácia e produtividade". Instituiu também o curso básico para suprir as deficiências do segundo grau(parecido com a proposta atual de Geraldo Alckimin).
A nomeação de reitores e diretores passou a dispensar a exigência de estar vinculado ao corpo docente da universidade, bastando possuir " alto tirocínio da vida pública ou empresarial". Como convém, uma reforma em que o viés tecnocrático se sobrepõe ao pedagógico.
Havia o controle externo excessivo em várias decisões, como na seleção e nomeação de pessoal, promoveu a perda de autonomia das universidades. A divisão de departamentos instaurou uma burocracia nunca vista. Entre os estudantes classes foram composta extinguindo a matrícula por disciplina, todas essas ações na tentativa de atenuar a politização dos estudantes.
Já em 69, com entrada de Médici na presidência, a tortura,  a repressão e o terrorismo governista toma conta do cenário bem como  o 'milagre econômico', assim como o aumento do desemprego e a alta da inflação.
No período Médici, na esfera educacional é decretada a lei já mencionada, nº 5692/71, que visa dar profissionalização ainda no 2º grau de ensino. Aumentou a obrigatoriedade do ensino de 4 para 8 anos; e aglutinou o antigo primário no ginasial. Tais medidas tinham os seguintes objetivos:1) capacitar o estudante para o ingresso no mercado como força de trabalho(mão de - obra); 2) minimizar a procura do ensino superior pela classe média.essa reforma acarretou prejuízo a educação escolar em torno do currículo, quando, por exemplo, o ensino de Filosofia foi excluído do 2º grau. Por fim a lei em questão não teve eficácia, devido a falta de infraestrutura para alocar o ensino profissionalizante e técnico propostos. Ainda sobre a 5692, Xavier(1994) a caracteriza como uma "lei utilitarista e discriminadora... utilitarista porque tinha em vista a inserção imediata do estudante no mercado, e discriminadora porque a 'igualdade de oportunidades', na escola não garantia a ascensão social".(p.248)
O que vimos então é uma visão, bem caracterizada pelos acordos bilaterais, fordista da educação principalmente a partir da década de 80 pelo governo militar, com o objetivo de sustentar sua propaganda em relação ao milagre econômico. Tão real é essa afirmação, que o único programa voltado para a Alfabetização de adultos, o MOBRAL, foi atacado pelos senadores biônicos, um deles foi Ministro da Educação, Jarbas Passarinho, até sua extinção.
Por fim, era obvio que uma Educação de boa qualidade social não era a prioridade do governo militar. O país sofreu por um longo período em todas as esferas, e educação foi paralisada neste período. O lamentável, porém, foi ver que após o término do regime, só em 1996 é que foi refeita a Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional com conceitos democráticos, mas infelizmente num governo de cunho neoliberal.

Tiradentes ou Jesus Cristo?

A imagem acima é a que anualmente em meados de Abril é trabalhado nas escolas públicas brasileiras. Uma figura semelhante a de Jesus Cristo. Além de um relato histórico descontextualizado em classe.
Existe uma necessidade de se trabalhar a História de Tiradentes contextualizada desde o processo da Inconfidência Mineira a sua transformação em mártir. Seu nome está nas páginas de aço do Livro dos Heróis e Heroínas da Pátria, sendo o primeiro a ser escrito.
Considerando que a Inconfidência Mineira foi mineira mesmo,ou seja, considerando que Tiradentes e seus companheiros queriam a independência de Minas Gerais o que não incluía a colônia por inteiro.
Considerando que ele passou a ser considerado mártir, principalmente, no período da ditadura militar na década de 60 com a ideia positivista de achar heróis nacionais para fortalecer o nacionalismo militar.
E mais de 20 anos depois do fim da ditadura continua sendo do mesmo jeito, a história de Tiradentes continua a ser passada para os estudantes da forma que os militares idealizaram: parecendo Jesus Cristo; herói incontestável; mártir. Totalmente,como já citado, descontextualizado do período colonial.
E dessa mesma forma vários heróis foram criados e cultivados no período ditatorial. Claro que o "herói" da inconfidência não tem culpa e participação em relação a isso.
Entretanto, o que os professores que reproduzem esse heroísmo sem qualquer criticidade ou ao menos discussão sobre os fatos, tem feito sobre isso? Nada!. A imagem que antecede o início do texto é o retrato da história ensinada nas salas de aula brasileiras, um conjunto de datas comemorativas, personagens descontextualizados.

domingo, 20 de abril de 2014

"Dia o Índio" nas escolas brasileiras

Mais uma vez chegamos no mês de Abril nas datas que "comemoram" o dia do "índio". Mas há o que realmente comemorar? Essa pergunta na verdade não chega a ser retórica mas sim cretina. Sabendo disso é mais cretino ainda o tratamento dado a história do povo indígena nas escolas brasileiras.
A imagem abaixo a exemplo de tantas outras, é a que permeia as salas de aulas do Ensino Fundamental I no dia 19 de Abril.


A partir dessa imagem verifica - se o que se pensa dos indígenas brasileiros dentro da escola pública. Um espectro de felicidade. Nomes como Tibiriçá e  do ex- Deputado Federal Mário Juruna(PDT) nem figuram nas "aulas" que são apresentadas no tal dia, isso quando há aula, pois muitas vezes só é dado o desenho para ser pintado.
Os fatos reais e a verdadeira história indígena não é apresentada para os educandos brasileiros na grande maioria das Unidades Escolares. Quando são, ficam limitados ao mês de Abril em "projetos especiais", como se em todo restante da História do Brasil desde a invasão portuguesa até hoje não houvesse participação dos povos indígenas.
O massacre sofrido durante a colonização européia; os enfrentamentos atuais pela demarcação de suas terras passam despercebidos por uma multidão de estudantes do Ensino Fundamental I e II bem como do Médio.
A própria formação dos atuais professores tem sido precária em relação a história indígena. Existe inclusive um processo bem delicado de "esquecimento" dos indígenas em favorecimento da história do povo africano e afro-brasileiro. Há um certo favorecimento dentro das escolas e na própria formação do professor para a reparação a partir do Ensino da História Africana e Afro - brasileira enquanto todo sofrimento,luta e causa indígena fica pautado no dia 19 de abril.
Não estou contra o Ensino da História Africana e Afro - brasileira, mas é visível que a questão indígena é esquecida.
A lei n.º 10639/2003 que inclui o ensino de História Africana e Afro - brasileira na lei nº 9394/96, Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional, é clara, principalmente em suas Diretrizes , deixa claro também a importância sobre a história indígena. Entretanto, não é o que acontece. Continuando a perdurar os conceitos tradicionais de senso comum que retrata a imagem inserida nesse texto.
Não é a lei 10639 que tem que mudar, até porque infelizmente ainda não teve o efeito surtido realmente, mas sim as redes municipais e estaduais que devem rever suas orientações curriculares para o ensino da História Indígena bem como os professores devem rever a forma e o conteúdo sobre esta história que estão passando. Já existe material suficiente sobre o tema para ele ser tratado como deve e mesmo se não houvesse, o papel do educador comprometido como conhecimento  da verdadeira história de nosso país tem que pesquisar para discutir com seus educandos o que é real.
Veja:http://portal.mec.gov.br/index.php?option=com_content&view=article&id=13165&Itemid=913
http://www.funai.gov.br/
http://www.museudoindio.org.br/

sexta-feira, 18 de abril de 2014

Quatrocentos e setenta e três dias de Filló na Educação ferrazense

Hoje, 18 de Abril, fazem exatamente 473 dias da administração do Prefeito tucano Acir Filló a frente da prefeitura de Ferraz de Vasconcelos. Curioso que sou fui fazer uma pesquisa utilizando como fonte o site oficial da prefeitura de noticias e a transparência para verificar quais as reais mudanças realizadas pela atual gestão no ensino oficial.
Verificamos vários pontos da utilização do orçamento da pasta da Educação no ano de 2013 e das noticias relacionadas ao tema, a partir dividimos da seguinte forma: 1) Infraestrutura; 2) Política Pública Educacional) 3)Valorização do Magistério; daí colocamos nossas impressões.
1. Infraestrutura
É visível que as escolas ferrazenses tem problemas de infraestrutura: problemas de infiltração; prédios antigos; rachaduras; falta de portas; pintura velha e outros. Sendo assim é necessário um programa público de reforma e manutenção bem como de construção de prédios escolares, até porquê a demanda por Educação Infantil e Ensino fundamental I é enorme bem como tem aumentado a procura pelo Ensino Fundamental II municipal já que o estadual é precário. De acordo com a transparência foram gastos em 2013 mais de 3 milhões e meio com obras e reformas bem como em serviços de engenharia, entretanto, o que é visto são escolas que continuam sendo "alagadas" por goteiras quando chove; cobertas pelo mato e; com pintura antiga e mal realizada. Além disso nota - se que enquanto foram gastos 3 milhões com reformas foram gastos também mais e 100 mil reais em locações de imóveis e, pasmem, quase 5 milhões de reais em repasse para entidades e associações em sua maioria cristãs pelo programa "Educação Infantil com qualidade", ou seja, ao invés de construções de creches a demanda é suprida com a "terceirização" do atendimento para o terceiro setor. Ou seja, mais uma vez um governo do PSDB não foge a cartilha de desmantelamento do Estado desviando a responsabilidade de quem é devido.
 Outro ponto a ser considerado, é que enquanto a estrutura das escolas continuam a deteriorar, foram empreendidos mais de 200 mil reais na instalação de câmeras e alarmes em escolas que as paredes não aguentam ser furadas para a instalação dos equipamentos.

 QUADRO DE INVESTIMENTOS NA EDUCAÇÃO DE FERRAZ DE VASCONCELOS - 2013

OBRAS E REFORMAS



ALUGUEL DE IMÓVEIS

REPASSE PARA ENTIDADES

3.568.798


128.828

4.916.378,74

 Com isso passamos para o próximo ponto.

 2) Política Pública Educacional
Quando o Governo municipal muda de mãos consideramos que algumas questões também mudam, principalmente quando quem assume é oposição à gestão anterior. Todavia, políticas públicas devem ser mantidas ou criadas. Na gestão anterior diversos projetos foram criados e mandados para as Unidades Escolares para que fossem implantados e realizados de uma forma ou de outra, e é claro que para isso foi gasto dinheiro público. Atualmente existem os seguinte projetos:
  • Ler e escrever;
  • Magia de Ler;
  • Palavra Cantada;
  • Educação Ambiental;
O primeiro é um programa do Governo Estadual que visa o trabalho de Leitura e Produção Textual que tem como principal objetivo o aumento do IDESP, índice estadual semelhante ao IDEB. O projeto " Magia de Ler" e " Palavra Cantada" de autoria da Editora Melhoramentos custou aos cofres públicos 1milhão e meio de reais, que consistiu em 2013 na entrega de kit's de livros para leitura e educação musical na Educação Infantil e Ensino Fundamental I que na prática não houve um retorno visível e estatístico. O último, " Educação ambiental" teve seu lançamento no último mês de março num salão de eventos que está construído em cima do Rio Tanquinho não respeitando o novo Código florestal. Tal projeto tem como prática o trabalho de temas mensalmente por professores da rede. Objetivamente, todos esses projetos, assim como na gestão anterior, são pseudos políticas públicas, isso porque não existe necessariamente um programa ou melhor dizendo um Plano Municipal de Educação que dá o norte, objetivos e metas claras que a Educação do município deve buscar.
Vale frisar, inclusive, que na administração anterior foi elaborado as " Orientações Curriculares de Ferraz de Vasconcelos" que foram elaboradas pela empresa " Aprender ser" da educadora Emília Cipriano e foi descartado pela gestão atual.
Um dos fatores que demonstra a falta de programa da administração tucana é o fato de nesses 473 dias já ter havido duas secretárias: Maria Cervan, até setembro de 2013, e agora Denize Ribeiro; e explicitamente as ideias implantadas por Cervan foram extirpadas pela nova secretária inclusive os projetos citados anteriormente, com exceção do "Ler e escrever", até agora não foram reimplantados. 
A partir daí passamos para o terceiro e último ponto.
3) Valorização do Magistério
Com essa falta de política pública os professores de Ferraz de Vasconcelos desde 2007 já tiveram dois Planos de Carreira, o segundo um pouco melhor que o primeiro, entretanto, sem benefícios realmente interessantes para assegurar a permanência e atrair novos docentes. Atualmente está em estudo de reforma do atual Plano de Carreira que está sendo realizado por funcionários comissionados da secretaria de Educação sem contar com a participação dos interessados: os profissionais da Educação.
O atual prefeito segue a linha social democrata tucana que considera que valorizar educador é dar bônus por assiduidade numa clara demonstração de: 1) não ter compreensão das reais necessidades dos docentes por condições de trabalho e; 2) considerar que os trabalhadores da Educação não tem compromisso com a rede e educandos, como a própria secretária declarou em um folhetim governista. O ponto 2 inclusive tem claras evidências como, por exemplo, o fato da implantação de relógio de registro de ponto biométrico em todas as escolas de Ferraz que até agora custou mais de 40 mil reais aos cofres públicos. Ou seja, não há um real plano de carreira do magistério mas sim um plano de cobrança do magistério.

Considerações finais
Em suma a atual administração do Município de Ferraz de Vasconcelos sofre de falta de criatividade para administrar a Educação. Outros programas que existem como a entrega de Kit Escolar(material escolar) e Uniforme(que ainda não foi distribuído) são questões implantadas anteriormente a essa gestão. 
Além de deixar as UE com falta de materiais básicos tanto pedagógicos quanto os de manutenção dos prédios. 
Uma administração originalmente tucana que até esses 473 dias tem demonstrado a linha que Aécio Neves quer implantar novamente no Brasil a exemplo de FHC na década de 90 .





quinta-feira, 17 de abril de 2014

Tecnologia educacional

Já faz alguns anos que o Brasil já está vivendo num período tecnológico ascendente. Cada vez mais nossos caminhos são trilhados por meio de tecnologias. Temos inúmeros equipamentos, aplicativos e software's que podemos usar para facilitar nossa vida.Inclusive para aprendermos.
Mas ainda há uma distância enorme entre as escolas brasileiras e tecnologia educacional. Passo a relatar algumas situações em algumas cidades da Região do Alto Tietê a qual estou inserido.

Mesas positivo e Multimundos
Algum tempo atrás, inicio dos anos 2000, os municípios de Poá e de Suzano adquiriram para suas redes de ensino as " Mesas Educacionais Alfabeto" e " Multimundos' da empresa paranaense Positivo. Lembro - me que em Suzano havia inclusive um monitor para realizar atividades em conjunto com os professores. Até 2008 via - se a figura desse monitor e havia em Suzano, formação referente a essas mesas, entretanto, a partir de 2009 não se falava mais em mesas educacionais e nem em novas tecnologias. O que se via em Suzano eram equipamentos empilhados em salas e muitos com defeito.
Em Poá, as mesas aparentemente estão bem conservadas, entretanto, não se vê o uso delas nas unidades de ensino.


A partir de 2012 estudantes dos anos finais do ensino Fundamental I e II, 4ª série/ 5º anos, 8ª série/ 9º anos, receberam do poder público poaense netbooks para serem utilizados em sala de aula e em casa. Nas escolas foram instaladas redes Wireless para o acesso a internet. Infelizmente os relatos são de que a rede não suporta a quantidade de acessos.
Em Poá assim como em Suzano não há dados de como tem sido usado esses equipamentos nem do impacto destes na aprendizagem e desenvolvimento dos educandos. Ou seja, não há como saber se está tendo qualidade no investimento.


Lousas Digitais
Em Ferraz de Vasconcelos, outro município da Região do Alto Tietê o investimento a partir de 2008 foi em laboratórios de informática e lousas digitais. Em primeiro plano algumas escolas foram equipadas com um laboratório com computadores do tipo "desktop" e uma lousa digital instalada na parede. O software usado nos pc's era o Linux. Não houve formação para os professores e em 2011 surgiu a figura do monitor de informática que atualmente não existe mais. Um detalhe triste é que muitos destes monitores contratados não sabiam nem ligar o computador. Atualmente estes equipamentos, com exceção da lousa, estão obsoletos com problemas no hardware e software.
A partir do mês de março deste ano,2014, duas Unidades  deste município receberam novos equipamentos. Lousas digitais da A-migo Multiface. Este equipamento é formado por uma lousa(projetor, webcam,caixas de som); notebook e canetas. Juntamente segue formação de 20 horas sobre o equipamento e software.
Um detalhe, porém, deve ser explicitado: enquanto é implantado essa nova tecnologia nas unidades escolares, as mesmas, sofrem com falta de manutenção. Quando há chuva goteiras invadem as salas de aulas; janelas não tem vidros; salas não tem portas.Uma dicotomia trágica para o presente deste município.
Da mesma forma que Poá e Suzano, Ferraz de Vasconcelos não tem dados concretos sobre a utilização dos laboratórios e lousas digitais que já estavam desde 2008.


Até então, o que vimos até aqui com essas informações, foi que essas iniciativas estão mais para politicas de governo com o fim de 'mostrar trabalho para o eleitorado" do que realmente para ampliar e melhorar a boa qualidade do ensino público. Como já citado, nesses municípios não há nenhum registro de dados em relação a utilização das tecnologias citadas como influenciador de qualidade de ensino. Entretanto, há reportagens sobre entregas de computadores e aquisição de maquinas tecnológicas, ou seja, "politicagem".
Por fim, cabe registrar que é importantíssimo a aquisição de equipamentos e software para auxiliar na melhor aprendizagem dos educandos. Entretanto, essa aquisição deve ser um dos itens para a melhoria da Educação Pública. Melhoria das estruturas escolares ainda devem ser feitas; manutenções periódicas também devem ser feitas; valorizar o profissional da educação(professores e pessoal de apoio) é imprescindível, entenda valorizar no sentindo financeiro e afetivo; e formação deve ser realizada sobre os equipamentos. Pois, os materiais serão apenas parte da mobília escolar e se perderão com o tempo se não haver uma familiarização entre profissional e máquina.




Páscoa reascende discussão sobre laicidade do ensino

Nesse período em que cristãos, principalmente católicos comemoram a páscoa, bem como os comerciantes a exploram, um debate é reascendido no seio das escolas públicas: a laicidade da educação pública. De acordo com o Art.19:

                                      " É vedado à União, aos Estados, ao Distrito Federal e aos Municipios:
                                       I- estabelecer cultos religiosos ou igrejas, subvencioná - los, embaraçar - lhes o funcionamento ou                                         manter com eles ou seus representantes relações de dependência ou aliança, ressalvada, na forma                                           da lei, a colaboração de interesse público"

O que caracteriza o Brasil sendo um Estado laico.  Os mais radicais consideram que ao promover entrega de ovos de chocolate e atividades que lembram a páscoa  descumpre a Constituição de 1988. Entretanto, na lei n.º 9393/96, LDB, no seu Art.33 diz: 

                                   "  O ensino religioso, de matricula facultativa, é parte integrante da formação básica do cidadão e                                             constitui disciplina dos horários normais das escolas públicas de ensino fundamental, assegurado o                                         respeito à diversidade cultural religiosa do Brasil, vedada quaisquer forma de proselitismo."

Portanto, legaliza a religião dentro de ambiente público. Todavia, a discussão é: se o Estado laico porque é trabalha datas cristã católicas nas escolas? E mais: por que temos feriados católicos se o Brasil é laico e consequentemente não há religião oficial?
Primeiramente podemos dizer que isso é devido a religião estar impregnada na sociedade brasileira e quando houve a separação do Estado e religião não houve realmente uma politica pública de separação do estado da religião, além do poder que a igreja Católica, que mesmo depois da proclamação da República, continuou enraizado na politica brasileira.
Hoje, entretanto, existe uma bipolarização religiosa entre a igreja católica e as evangélicas que hoje constituem bancadas parlamentares.
Em segundo lugar, há um total relaxamento da população que não se dá conta e deixa passar essas ações como algo comum e normal esquecendo assim as atrocidades do cristianismo tanto católico e protestantismo cometeram na História e ainda cometem.
Um fato interessante, porém, o contexto da discussão dentro da escola entre os professores. a discussão gira em torno do desvio do sentido da páscoa promovido pelo capitalismo; o desvirtuamento dos símbolos pascais e não se devemos ou não comemorá - la dentro do ambiente escolar(público, consequentemente, "laico"). Ou seja, os formadores irão formar mais cristão.


domingo, 2 de março de 2014

4º BlogProg


Nos dias 16, 17 e 18 de maio em São Paulo, são aguardados 500 ativistas digitais de todo o país. A organização do encontro disponibilizará hospedagem para os 200 primeiros inscritos de fora da capital paulista e alimentação para os 500 participantes.
Na sexta-feira, 16 de maio, o Encontro Nacional promoverá um Seminário Internacional que se propõe a dar continuidade aos debates do 1º Encontro Mundial de Blogueiros realizado em outubro de 2011 em Foz do Iguaçu (PR). Sete conferencistas internacionais participarão dos debates sobre mídia, poder e América Latina, seguido de um debate sobre a luta pela democratização da mídia no Brasil.
No sábado, 17 de maio, a proposta é retomar a experiência do primeiro encontro nacional realizado em 2010 por meio das desconferêncas. As atividades iniciam com um debate sobre a juventude e a força das novas mídias e será seguido das desconferências, em que serão formados grupos de debates. Nesses grupos, o debate será iniciado por ativistas convidados e todos os participantes terão vez e voz para relatar suas experiências e participar dos debates. Após as desconferências, os grupos voltam a se reunir para um debate sobre a mídia e as eleições de 2014, seguido de uma festa de confraternização.
No domingo, 18 de maio, os debates serão sobre a Carta de São Paulo e ações do movimento de blogueir@s e ativistas digitais.
As inscrições já estão abertas na página blogprog.com.br/inscricoes. As taxas de inscrição são R$ 50 (cinquenta reais) para os participantes em geral e R$ 20 (vinte reais) para estudantes, sendo necessário o envio do comprovante de matrícula na instituição indicada para o email inscricoes@blogprog.com.br.
Data: 16, 17 e 18 de maio de 2014
Local: São Paulo/SP
Inscrição: blogprog.com.br/inscricoes
Taxa de inscrição: 50 reais para o público em geral e 20 reais para estudantes
***

PROGRAMAÇÃO

16 de maio, sexta-feira
09 horas — Abertura
10 horas — Debate: Mídia, poder e contrapoder
  • Ignácio Ramonet – fundador do jornal Le Monde Diplomatique (França); *
  • Pascual Serrano – criador do sítio Rebelion (Espanha); *
  • Andrés Conteris – Integrante do movimento Democracy Now (Estados Unidos); *
  • Dênis de Moraes – professor da Universidade Federal Fluminense. *
14 horas — A mídia na América Latina
  • Osvaldo Leon – integrante da Agência Latina Americana de Informação (Alai-Equador) *
  • Damian Loreti – professor (Argentina);
  • Iroel Sánchez – blogueiro cubano; *
  • Emir Sader – sociólogo e cientista político.
17 horas — A luta pela democratização da mídia no Brasil
  • Luiza Erundina – coordenadora da Frente Parlamentar pela Liberdade de Expressão (Frentecom);
  • Rosane Bertoti – coordenadora do Fórum Nacional pela Democratização da Comunicação (FNDC);
  • Laurindo Lalo Leal Filho – professor da USP e ex-ouvidor da Empresa Brasil de Comunicação (EBC);
  • Luciana Santos - vice-presidente nacional do Partido Comunista do Brasil (PCdoB) e deputada federal por Pernambuco.
17 de maio, sábado
9 horas — A juventude e a força das novas mídias
  • Pablo Capilé – Fora do Eixo;
  • Renato Rovai – revista Fórum;
  • Luciano Martins Costa – Observatório da Imprensa;
  • Jeferson Monteiro – Dilma Bolada;
  • PC Siqueira – MTV
14 horas — Troca de experiências sobre a blogosfera e o ciberativismo;
18 horas — A mídia e as eleições de 2014
  • Lula
19 horas — Festa de confraternização.
18 de maio, domingo
10 horas — Plano de ação do movimento nacional de blogueir@s;
  • Definição do local do V Encontro Nacional, em 2016;
  • Aprovação da Carta de São Paulo;
  • Eleição da nova comissão nacional organizadora.
Convidados para iniciar os debates das desconferências: 
Marco Weissheimer (RS);
Eliana Tavares (SC);
Esmael Morais (PR);
Tarso Cabral (PR);
Leonardo Sakamoto (SP);
Cynara Menezes (DF);
Miguel do Rosário (RJ);
Fernando Brito (RJ);
Fábio Malini (ES);
Lola Aronovich (CE);
Daniel Pearl (CE);
Altino Machado (AC);
Diógenes "Jimmy" Brandão (PA);
Altino Machado (AC);
Marcos Vinicius (GO);
Jean Wyllys (RJ);
Túlio Viana (MG);
Lucio Flávio Pinto (PA);
Claudio Nunes (SE);
Nelson Triunfo;
Oldack Miranda – Bahia de Fato;
Douglas Belchior – movimento negro, CartaCapital;
Edmilson Costa – PCB;
Valério Arcary – PSTU;
Carta Potiguar (RN)
FONTE: Barão de Itararé

sábado, 1 de março de 2014

Prefeitura de São Paulo convoca mais professores de Educação Infantil

A prefeitura do Município SP convocou ontem na página 66 de seu Diário Oficial 45 professores para assumirem o cargo de Professor de Educação Infantil, na Capital. essas vagas fazem parte do concurso homologado em 18 de Junho de 2010 e tem sua validade até 18 de Junho deste ano. Faltam ainda 3163 aprovados a serem chamados dos 7188 aprovados.
Os convocados deverão comparecer no dia 21 de Março no  Auditório da CONAE 2, sito à Av. Angélica, 2606 – Consolação.

sexta-feira, 7 de fevereiro de 2014