quinta-feira, 17 de abril de 2014

Tecnologia educacional

Já faz alguns anos que o Brasil já está vivendo num período tecnológico ascendente. Cada vez mais nossos caminhos são trilhados por meio de tecnologias. Temos inúmeros equipamentos, aplicativos e software's que podemos usar para facilitar nossa vida.Inclusive para aprendermos.
Mas ainda há uma distância enorme entre as escolas brasileiras e tecnologia educacional. Passo a relatar algumas situações em algumas cidades da Região do Alto Tietê a qual estou inserido.

Mesas positivo e Multimundos
Algum tempo atrás, inicio dos anos 2000, os municípios de Poá e de Suzano adquiriram para suas redes de ensino as " Mesas Educacionais Alfabeto" e " Multimundos' da empresa paranaense Positivo. Lembro - me que em Suzano havia inclusive um monitor para realizar atividades em conjunto com os professores. Até 2008 via - se a figura desse monitor e havia em Suzano, formação referente a essas mesas, entretanto, a partir de 2009 não se falava mais em mesas educacionais e nem em novas tecnologias. O que se via em Suzano eram equipamentos empilhados em salas e muitos com defeito.
Em Poá, as mesas aparentemente estão bem conservadas, entretanto, não se vê o uso delas nas unidades de ensino.


A partir de 2012 estudantes dos anos finais do ensino Fundamental I e II, 4ª série/ 5º anos, 8ª série/ 9º anos, receberam do poder público poaense netbooks para serem utilizados em sala de aula e em casa. Nas escolas foram instaladas redes Wireless para o acesso a internet. Infelizmente os relatos são de que a rede não suporta a quantidade de acessos.
Em Poá assim como em Suzano não há dados de como tem sido usado esses equipamentos nem do impacto destes na aprendizagem e desenvolvimento dos educandos. Ou seja, não há como saber se está tendo qualidade no investimento.


Lousas Digitais
Em Ferraz de Vasconcelos, outro município da Região do Alto Tietê o investimento a partir de 2008 foi em laboratórios de informática e lousas digitais. Em primeiro plano algumas escolas foram equipadas com um laboratório com computadores do tipo "desktop" e uma lousa digital instalada na parede. O software usado nos pc's era o Linux. Não houve formação para os professores e em 2011 surgiu a figura do monitor de informática que atualmente não existe mais. Um detalhe triste é que muitos destes monitores contratados não sabiam nem ligar o computador. Atualmente estes equipamentos, com exceção da lousa, estão obsoletos com problemas no hardware e software.
A partir do mês de março deste ano,2014, duas Unidades  deste município receberam novos equipamentos. Lousas digitais da A-migo Multiface. Este equipamento é formado por uma lousa(projetor, webcam,caixas de som); notebook e canetas. Juntamente segue formação de 20 horas sobre o equipamento e software.
Um detalhe, porém, deve ser explicitado: enquanto é implantado essa nova tecnologia nas unidades escolares, as mesmas, sofrem com falta de manutenção. Quando há chuva goteiras invadem as salas de aulas; janelas não tem vidros; salas não tem portas.Uma dicotomia trágica para o presente deste município.
Da mesma forma que Poá e Suzano, Ferraz de Vasconcelos não tem dados concretos sobre a utilização dos laboratórios e lousas digitais que já estavam desde 2008.


Até então, o que vimos até aqui com essas informações, foi que essas iniciativas estão mais para politicas de governo com o fim de 'mostrar trabalho para o eleitorado" do que realmente para ampliar e melhorar a boa qualidade do ensino público. Como já citado, nesses municípios não há nenhum registro de dados em relação a utilização das tecnologias citadas como influenciador de qualidade de ensino. Entretanto, há reportagens sobre entregas de computadores e aquisição de maquinas tecnológicas, ou seja, "politicagem".
Por fim, cabe registrar que é importantíssimo a aquisição de equipamentos e software para auxiliar na melhor aprendizagem dos educandos. Entretanto, essa aquisição deve ser um dos itens para a melhoria da Educação Pública. Melhoria das estruturas escolares ainda devem ser feitas; manutenções periódicas também devem ser feitas; valorizar o profissional da educação(professores e pessoal de apoio) é imprescindível, entenda valorizar no sentindo financeiro e afetivo; e formação deve ser realizada sobre os equipamentos. Pois, os materiais serão apenas parte da mobília escolar e se perderão com o tempo se não haver uma familiarização entre profissional e máquina.




Nenhum comentário:

Postar um comentário