domingo, 20 de abril de 2014

"Dia o Índio" nas escolas brasileiras

Mais uma vez chegamos no mês de Abril nas datas que "comemoram" o dia do "índio". Mas há o que realmente comemorar? Essa pergunta na verdade não chega a ser retórica mas sim cretina. Sabendo disso é mais cretino ainda o tratamento dado a história do povo indígena nas escolas brasileiras.
A imagem abaixo a exemplo de tantas outras, é a que permeia as salas de aulas do Ensino Fundamental I no dia 19 de Abril.


A partir dessa imagem verifica - se o que se pensa dos indígenas brasileiros dentro da escola pública. Um espectro de felicidade. Nomes como Tibiriçá e  do ex- Deputado Federal Mário Juruna(PDT) nem figuram nas "aulas" que são apresentadas no tal dia, isso quando há aula, pois muitas vezes só é dado o desenho para ser pintado.
Os fatos reais e a verdadeira história indígena não é apresentada para os educandos brasileiros na grande maioria das Unidades Escolares. Quando são, ficam limitados ao mês de Abril em "projetos especiais", como se em todo restante da História do Brasil desde a invasão portuguesa até hoje não houvesse participação dos povos indígenas.
O massacre sofrido durante a colonização européia; os enfrentamentos atuais pela demarcação de suas terras passam despercebidos por uma multidão de estudantes do Ensino Fundamental I e II bem como do Médio.
A própria formação dos atuais professores tem sido precária em relação a história indígena. Existe inclusive um processo bem delicado de "esquecimento" dos indígenas em favorecimento da história do povo africano e afro-brasileiro. Há um certo favorecimento dentro das escolas e na própria formação do professor para a reparação a partir do Ensino da História Africana e Afro - brasileira enquanto todo sofrimento,luta e causa indígena fica pautado no dia 19 de abril.
Não estou contra o Ensino da História Africana e Afro - brasileira, mas é visível que a questão indígena é esquecida.
A lei n.º 10639/2003 que inclui o ensino de História Africana e Afro - brasileira na lei nº 9394/96, Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional, é clara, principalmente em suas Diretrizes , deixa claro também a importância sobre a história indígena. Entretanto, não é o que acontece. Continuando a perdurar os conceitos tradicionais de senso comum que retrata a imagem inserida nesse texto.
Não é a lei 10639 que tem que mudar, até porque infelizmente ainda não teve o efeito surtido realmente, mas sim as redes municipais e estaduais que devem rever suas orientações curriculares para o ensino da História Indígena bem como os professores devem rever a forma e o conteúdo sobre esta história que estão passando. Já existe material suficiente sobre o tema para ele ser tratado como deve e mesmo se não houvesse, o papel do educador comprometido como conhecimento  da verdadeira história de nosso país tem que pesquisar para discutir com seus educandos o que é real.
Veja:http://portal.mec.gov.br/index.php?option=com_content&view=article&id=13165&Itemid=913
http://www.funai.gov.br/
http://www.museudoindio.org.br/

Nenhum comentário:

Postar um comentário