sexta-feira, 18 de abril de 2014

Quatrocentos e setenta e três dias de Filló na Educação ferrazense

Hoje, 18 de Abril, fazem exatamente 473 dias da administração do Prefeito tucano Acir Filló a frente da prefeitura de Ferraz de Vasconcelos. Curioso que sou fui fazer uma pesquisa utilizando como fonte o site oficial da prefeitura de noticias e a transparência para verificar quais as reais mudanças realizadas pela atual gestão no ensino oficial.
Verificamos vários pontos da utilização do orçamento da pasta da Educação no ano de 2013 e das noticias relacionadas ao tema, a partir dividimos da seguinte forma: 1) Infraestrutura; 2) Política Pública Educacional) 3)Valorização do Magistério; daí colocamos nossas impressões.
1. Infraestrutura
É visível que as escolas ferrazenses tem problemas de infraestrutura: problemas de infiltração; prédios antigos; rachaduras; falta de portas; pintura velha e outros. Sendo assim é necessário um programa público de reforma e manutenção bem como de construção de prédios escolares, até porquê a demanda por Educação Infantil e Ensino fundamental I é enorme bem como tem aumentado a procura pelo Ensino Fundamental II municipal já que o estadual é precário. De acordo com a transparência foram gastos em 2013 mais de 3 milhões e meio com obras e reformas bem como em serviços de engenharia, entretanto, o que é visto são escolas que continuam sendo "alagadas" por goteiras quando chove; cobertas pelo mato e; com pintura antiga e mal realizada. Além disso nota - se que enquanto foram gastos 3 milhões com reformas foram gastos também mais e 100 mil reais em locações de imóveis e, pasmem, quase 5 milhões de reais em repasse para entidades e associações em sua maioria cristãs pelo programa "Educação Infantil com qualidade", ou seja, ao invés de construções de creches a demanda é suprida com a "terceirização" do atendimento para o terceiro setor. Ou seja, mais uma vez um governo do PSDB não foge a cartilha de desmantelamento do Estado desviando a responsabilidade de quem é devido.
 Outro ponto a ser considerado, é que enquanto a estrutura das escolas continuam a deteriorar, foram empreendidos mais de 200 mil reais na instalação de câmeras e alarmes em escolas que as paredes não aguentam ser furadas para a instalação dos equipamentos.

 QUADRO DE INVESTIMENTOS NA EDUCAÇÃO DE FERRAZ DE VASCONCELOS - 2013

OBRAS E REFORMAS



ALUGUEL DE IMÓVEIS

REPASSE PARA ENTIDADES

3.568.798


128.828

4.916.378,74

 Com isso passamos para o próximo ponto.

 2) Política Pública Educacional
Quando o Governo municipal muda de mãos consideramos que algumas questões também mudam, principalmente quando quem assume é oposição à gestão anterior. Todavia, políticas públicas devem ser mantidas ou criadas. Na gestão anterior diversos projetos foram criados e mandados para as Unidades Escolares para que fossem implantados e realizados de uma forma ou de outra, e é claro que para isso foi gasto dinheiro público. Atualmente existem os seguinte projetos:
  • Ler e escrever;
  • Magia de Ler;
  • Palavra Cantada;
  • Educação Ambiental;
O primeiro é um programa do Governo Estadual que visa o trabalho de Leitura e Produção Textual que tem como principal objetivo o aumento do IDESP, índice estadual semelhante ao IDEB. O projeto " Magia de Ler" e " Palavra Cantada" de autoria da Editora Melhoramentos custou aos cofres públicos 1milhão e meio de reais, que consistiu em 2013 na entrega de kit's de livros para leitura e educação musical na Educação Infantil e Ensino Fundamental I que na prática não houve um retorno visível e estatístico. O último, " Educação ambiental" teve seu lançamento no último mês de março num salão de eventos que está construído em cima do Rio Tanquinho não respeitando o novo Código florestal. Tal projeto tem como prática o trabalho de temas mensalmente por professores da rede. Objetivamente, todos esses projetos, assim como na gestão anterior, são pseudos políticas públicas, isso porque não existe necessariamente um programa ou melhor dizendo um Plano Municipal de Educação que dá o norte, objetivos e metas claras que a Educação do município deve buscar.
Vale frisar, inclusive, que na administração anterior foi elaborado as " Orientações Curriculares de Ferraz de Vasconcelos" que foram elaboradas pela empresa " Aprender ser" da educadora Emília Cipriano e foi descartado pela gestão atual.
Um dos fatores que demonstra a falta de programa da administração tucana é o fato de nesses 473 dias já ter havido duas secretárias: Maria Cervan, até setembro de 2013, e agora Denize Ribeiro; e explicitamente as ideias implantadas por Cervan foram extirpadas pela nova secretária inclusive os projetos citados anteriormente, com exceção do "Ler e escrever", até agora não foram reimplantados. 
A partir daí passamos para o terceiro e último ponto.
3) Valorização do Magistério
Com essa falta de política pública os professores de Ferraz de Vasconcelos desde 2007 já tiveram dois Planos de Carreira, o segundo um pouco melhor que o primeiro, entretanto, sem benefícios realmente interessantes para assegurar a permanência e atrair novos docentes. Atualmente está em estudo de reforma do atual Plano de Carreira que está sendo realizado por funcionários comissionados da secretaria de Educação sem contar com a participação dos interessados: os profissionais da Educação.
O atual prefeito segue a linha social democrata tucana que considera que valorizar educador é dar bônus por assiduidade numa clara demonstração de: 1) não ter compreensão das reais necessidades dos docentes por condições de trabalho e; 2) considerar que os trabalhadores da Educação não tem compromisso com a rede e educandos, como a própria secretária declarou em um folhetim governista. O ponto 2 inclusive tem claras evidências como, por exemplo, o fato da implantação de relógio de registro de ponto biométrico em todas as escolas de Ferraz que até agora custou mais de 40 mil reais aos cofres públicos. Ou seja, não há um real plano de carreira do magistério mas sim um plano de cobrança do magistério.

Considerações finais
Em suma a atual administração do Município de Ferraz de Vasconcelos sofre de falta de criatividade para administrar a Educação. Outros programas que existem como a entrega de Kit Escolar(material escolar) e Uniforme(que ainda não foi distribuído) são questões implantadas anteriormente a essa gestão. 
Além de deixar as UE com falta de materiais básicos tanto pedagógicos quanto os de manutenção dos prédios. 
Uma administração originalmente tucana que até esses 473 dias tem demonstrado a linha que Aécio Neves quer implantar novamente no Brasil a exemplo de FHC na década de 90 .





quinta-feira, 17 de abril de 2014

Tecnologia educacional

Já faz alguns anos que o Brasil já está vivendo num período tecnológico ascendente. Cada vez mais nossos caminhos são trilhados por meio de tecnologias. Temos inúmeros equipamentos, aplicativos e software's que podemos usar para facilitar nossa vida.Inclusive para aprendermos.
Mas ainda há uma distância enorme entre as escolas brasileiras e tecnologia educacional. Passo a relatar algumas situações em algumas cidades da Região do Alto Tietê a qual estou inserido.

Mesas positivo e Multimundos
Algum tempo atrás, inicio dos anos 2000, os municípios de Poá e de Suzano adquiriram para suas redes de ensino as " Mesas Educacionais Alfabeto" e " Multimundos' da empresa paranaense Positivo. Lembro - me que em Suzano havia inclusive um monitor para realizar atividades em conjunto com os professores. Até 2008 via - se a figura desse monitor e havia em Suzano, formação referente a essas mesas, entretanto, a partir de 2009 não se falava mais em mesas educacionais e nem em novas tecnologias. O que se via em Suzano eram equipamentos empilhados em salas e muitos com defeito.
Em Poá, as mesas aparentemente estão bem conservadas, entretanto, não se vê o uso delas nas unidades de ensino.


A partir de 2012 estudantes dos anos finais do ensino Fundamental I e II, 4ª série/ 5º anos, 8ª série/ 9º anos, receberam do poder público poaense netbooks para serem utilizados em sala de aula e em casa. Nas escolas foram instaladas redes Wireless para o acesso a internet. Infelizmente os relatos são de que a rede não suporta a quantidade de acessos.
Em Poá assim como em Suzano não há dados de como tem sido usado esses equipamentos nem do impacto destes na aprendizagem e desenvolvimento dos educandos. Ou seja, não há como saber se está tendo qualidade no investimento.


Lousas Digitais
Em Ferraz de Vasconcelos, outro município da Região do Alto Tietê o investimento a partir de 2008 foi em laboratórios de informática e lousas digitais. Em primeiro plano algumas escolas foram equipadas com um laboratório com computadores do tipo "desktop" e uma lousa digital instalada na parede. O software usado nos pc's era o Linux. Não houve formação para os professores e em 2011 surgiu a figura do monitor de informática que atualmente não existe mais. Um detalhe triste é que muitos destes monitores contratados não sabiam nem ligar o computador. Atualmente estes equipamentos, com exceção da lousa, estão obsoletos com problemas no hardware e software.
A partir do mês de março deste ano,2014, duas Unidades  deste município receberam novos equipamentos. Lousas digitais da A-migo Multiface. Este equipamento é formado por uma lousa(projetor, webcam,caixas de som); notebook e canetas. Juntamente segue formação de 20 horas sobre o equipamento e software.
Um detalhe, porém, deve ser explicitado: enquanto é implantado essa nova tecnologia nas unidades escolares, as mesmas, sofrem com falta de manutenção. Quando há chuva goteiras invadem as salas de aulas; janelas não tem vidros; salas não tem portas.Uma dicotomia trágica para o presente deste município.
Da mesma forma que Poá e Suzano, Ferraz de Vasconcelos não tem dados concretos sobre a utilização dos laboratórios e lousas digitais que já estavam desde 2008.


Até então, o que vimos até aqui com essas informações, foi que essas iniciativas estão mais para politicas de governo com o fim de 'mostrar trabalho para o eleitorado" do que realmente para ampliar e melhorar a boa qualidade do ensino público. Como já citado, nesses municípios não há nenhum registro de dados em relação a utilização das tecnologias citadas como influenciador de qualidade de ensino. Entretanto, há reportagens sobre entregas de computadores e aquisição de maquinas tecnológicas, ou seja, "politicagem".
Por fim, cabe registrar que é importantíssimo a aquisição de equipamentos e software para auxiliar na melhor aprendizagem dos educandos. Entretanto, essa aquisição deve ser um dos itens para a melhoria da Educação Pública. Melhoria das estruturas escolares ainda devem ser feitas; manutenções periódicas também devem ser feitas; valorizar o profissional da educação(professores e pessoal de apoio) é imprescindível, entenda valorizar no sentindo financeiro e afetivo; e formação deve ser realizada sobre os equipamentos. Pois, os materiais serão apenas parte da mobília escolar e se perderão com o tempo se não haver uma familiarização entre profissional e máquina.




Páscoa reascende discussão sobre laicidade do ensino

Nesse período em que cristãos, principalmente católicos comemoram a páscoa, bem como os comerciantes a exploram, um debate é reascendido no seio das escolas públicas: a laicidade da educação pública. De acordo com o Art.19:

                                      " É vedado à União, aos Estados, ao Distrito Federal e aos Municipios:
                                       I- estabelecer cultos religiosos ou igrejas, subvencioná - los, embaraçar - lhes o funcionamento ou                                         manter com eles ou seus representantes relações de dependência ou aliança, ressalvada, na forma                                           da lei, a colaboração de interesse público"

O que caracteriza o Brasil sendo um Estado laico.  Os mais radicais consideram que ao promover entrega de ovos de chocolate e atividades que lembram a páscoa  descumpre a Constituição de 1988. Entretanto, na lei n.º 9393/96, LDB, no seu Art.33 diz: 

                                   "  O ensino religioso, de matricula facultativa, é parte integrante da formação básica do cidadão e                                             constitui disciplina dos horários normais das escolas públicas de ensino fundamental, assegurado o                                         respeito à diversidade cultural religiosa do Brasil, vedada quaisquer forma de proselitismo."

Portanto, legaliza a religião dentro de ambiente público. Todavia, a discussão é: se o Estado laico porque é trabalha datas cristã católicas nas escolas? E mais: por que temos feriados católicos se o Brasil é laico e consequentemente não há religião oficial?
Primeiramente podemos dizer que isso é devido a religião estar impregnada na sociedade brasileira e quando houve a separação do Estado e religião não houve realmente uma politica pública de separação do estado da religião, além do poder que a igreja Católica, que mesmo depois da proclamação da República, continuou enraizado na politica brasileira.
Hoje, entretanto, existe uma bipolarização religiosa entre a igreja católica e as evangélicas que hoje constituem bancadas parlamentares.
Em segundo lugar, há um total relaxamento da população que não se dá conta e deixa passar essas ações como algo comum e normal esquecendo assim as atrocidades do cristianismo tanto católico e protestantismo cometeram na História e ainda cometem.
Um fato interessante, porém, o contexto da discussão dentro da escola entre os professores. a discussão gira em torno do desvio do sentido da páscoa promovido pelo capitalismo; o desvirtuamento dos símbolos pascais e não se devemos ou não comemorá - la dentro do ambiente escolar(público, consequentemente, "laico"). Ou seja, os formadores irão formar mais cristão.